Você está pronto para abrir uma franquia?

Você está pronto para abrir uma franquia?

Desejo de empreender

São muitas as razões que têm feito o interesse pelas franquias crescer cada vez mais no Brasil. O desejo de empreender, a vontade de se livrar do chefe e a busca por alternativas diante da crise estão entre os principais fatores de atração para o segmento, mas não garantem por si só o sucesso da empreitada.

 

Franquia x Negócio Independente

Abrir uma franquia é de fato uma opção mais segura do que um negócio independente – especialmente em uma época de tantas incertezas no cenário político-econômico nacional –, mas é fundamental que o empreendedor entenda o seu papel na rede de franqueados.

Uma série de regras e padrões precisará ser seguida à risca para que o negócio dê resultado e para que a franqueadora tenha interesse em mantê-lo na rede. E isso quer dizer que, apesar de não ter que lidar com a tradicional figura do chefe, o investidor não terá total autonomia sobre o empreendimento.

O interessado também precisa ter bastante tempo disponível para a administração do negócio. Em muitos segmentos, certamente não valerá a pena implantar a unidade e deixar a operação por conta de um gerente, pois, como diz o ditado, “é o olho do dono que engorda o gado”.

 

Retorno do Investimento em Franquias

É essencial que o candidato a franqueado tenha condições financeiras suficientes não apenas para abrir o negócio como também para se manter no início da operação, já que nem sempre o retorno do investimento se dá no primeiro mês. E aí vale a pena destacar que os valores de investimento divulgados pelas franqueadoras geralmente incluem apenas a taxa de franquia – que costuma girar em torno de R$ 20 mil a R$ 40 mil –, o mobiliário e os equipamentos indispensáveis à operação.

Assim, deve-se levar em conta outros itens importantes que pesarão no bolso nesse primeiro momento, tais como as despesas com abertura de firma, aluguel e “luva”, que é uma taxa de cessão de direito de uso do espaço requerida principalmente em shopping centers, mas também em algumas ruas de comércio.

A partir do início da operação da franquia, é preciso considerar também os gastos com a aquisição dos primeiros produtos a serem disponibilizados aos clientes, a taxa de propaganda, a folha de pagamento, a taxa de condomínio (se houver) e os royalties – parte da receita que deve ser destinada mensalmente ao franqueador.

 

Perfil do Candidato

Ter tino comercial e se sentir preparado para gerenciar uma equipe são características muito úteis para quem almeja ter uma franquia, mas o investidor não precisa necessariamente já ter essa “bagagem”. Isso porque grande parte das marcas garante aos franqueados e seus funcionários todos os treinamentos que a operação do negócio requer. Na maioria das empresas, há ainda um consultor de campo, que é um profissional que acompanha mais de perto o dia a dia de cada unidade da marca, proporcionando suporte aos franqueados à medida que surgem novas demandas e oportunidades de melhoria.

É importante destacar, no entanto, que o sucesso do negócio não pode depender exclusivamente dos recursos fornecidos pelo franqueador, mas principalmente do empenho e da dedicação do franqueado. E, para isso acontecer, é fundamental que ele esteja atuando em uma área de seu interesse e que trabalhe com uma marca que realmente admire. Afinal, quando se tem satisfação profissional e pessoal, tudo fica mais fácil!

cta-ebook-como-abrir-franquia

Maria Luiza Brufatto
Maria Luiza Brufatto
Palestrante, Especialista em gestão de vendas, com forte atuação no comercial de empresas nas áreas de Varejo, Arquitetura e Construção Civil, Indústria, Atacado e Franchising.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

CANSADO DE CONTEÚDOS SUPERFICIAIS?

Receba conteúdos e materiais REALMENTE ÚTEIS sobre franquias

Fique tranquilo, não faremos SPAM e nem venderemos seu email.