Home-based, quiosque, store in store ou loja: qual o melhor formato para você?

Após optar por investir em um modelo de franquia, é comum que você tenha uma série de dúvidas. Primeiro em relação a qual marca escolher, depois sobre como funciona a operação e também a respeito das regras para a abertura de uma nova loja. Tais questões são essenciais para evitar equívocos e frustrações posteriores. Contudo, outro ponto que não deve ficar fora do seu radar é o formato mais adequado para o seu perfil ou ramo de atuação.

Dentre as opções disponíveis, você pode escolher por franquia home-based, franquia de quiosque, franquia store in store ou franquia de loja física, que pode ser na rua ou em um shopping. Com tantas opções, é importante realizar uma análise criteriosa, visto que as vantagens e desvantagens de cada modelo são bem específicas. Visando esclarecer as principais dúvidas sobre o assunto, preparamos um panorama completo sobre cada uma das suas opções. Confira!

 

Franquia Home-based: rentabilidade no conforto do seu lar

Muitos empreendedores, principalmente os que acabaram de sair do mundo corporativo, sonham em montar um negócio dentro da sua própria casa. Se você está entre eles, deve considerar a franquia home-based como uma opção, uma vez que esta irá lhe permitir trabalhar sozinho e ter maior autonomia profissional.

Dentre as principais vantagens do modelo está o baixo investimento inicial, já que não há necessidade de gastar com instalações. Assim, se você não tem muito capital, esse formato pode ser uma forma ágil e segura de viabilizar o seu negócio. Devido à inexistência de gastos com funcionários e aluguel do espaço, a margem de lucro também é mais alta e você terá ainda grande flexibilidade em relação ao deslocamento. Considerando uma cidade como São Paulo, em que a população gasta em média 2 horas por dia no trânsito, segundo a última pesquisa sobre mobilidade urbana realizada na capital, esse é um ponto que vale a pena considerar.

Contudo, mesmo apresentando benefícios bem atraentes ao franqueado, é preciso cautela, pois as desvantagens podem acabar aparecendo pouco tempo depois do início da operação do negócio. Diego Simioni, sócio-fundador da GOAKIRA, consultoria especializada no setor de franquias, ressalta que alguns benefícios, como o fato de poder trabalhar sozinho, podem se transformar em verdadeiros desafios para o empreendedor. “Ao ser a única pessoa atuando na gestão diária do negócio é comum que, em alguns momentos, você se sinta isolado. Pode parecer que não, mas ter uma equipe te acompanhando é um fator extremamente positivo para a geração de novas ideias e soluções. Portanto, ao optar pelo modelo home-based, você deverá ter muita disciplina e foco para manter uma rotina de trabalho produtiva”, comenta.

Para combater o isolamento e a falta de visibilidade, o franqueado deve se manter muito próximo aos seus clientes, seja através de visitas ou ligações telefônicas. É importante demonstrar ao seu consumidor que você está sempre disponível para melhor atendê-lo. Também é importante não misturar a rotina do lar com a do escritório. Tenha um local e horário definido para se concentrar no trabalho. Caso contrário, os apelos externos podem prejudicar seu rendimento e, consequentemente, a sua empresa.

 

Franquia de Quiosque: a mobilidade a seu favor

Se você tem o hábito de visitar shoppings centers, com certeza já topou com alguns quiosques pelo caminho. Esse modelo de negócio é uma opção interessante, mas não para todos os segmentos. O ideal é que seja utilizado para a exposição de produtos ou serviços de baixo valor agregado e consumo rápido. “A venda no quiosque está atrelada a dois fatores principais: conveniência e impulso. Mesmo sem ter uma intenção de compra definida, uma pessoa, ao passar pelo local, pode sentir seu interesse despertado e acabar consumindo algum item em exposição. Por isso, quiosques de comida, maquiagem, óculos de sol, entre outros, fazem tanto sucesso”, explica Simioni.

Essa característica é ressaltada pela dificuldade encontrada no modelo em criar uma experiência de compra relevante para o consumidor. Devido ao espaço reduzido é complicado proporcionar conforto, privacidade e uma maior interação do cliente com o produto ou serviço. Dessa forma, alguns setores que demandam essa experiência não conquistam bons resultados, como é o caso de lingeries, joias, calçados, etc.

A maior vantagem desse formato refere-se ao investimento inicial e aos custos operacionais serem bem menores do que os da loja física tradicional. Os espaços ocupados pelos quiosques são de propriedade dos próprios shoppings, que cedem a esses franqueados a possibilidade de explorar o local comercialmente por um período de tempo pré-determinado. Porém, ao mesmo tempo em que isso é um grande benefício, já que proporciona ao negócio mobilidade e economia – já que não há cobrança de ponto comercial e nem grandes gastos com obras – por outro, é também um dos maiores riscos do formato.

Isso porque o empreendimento fica a mercê da lei da oferta e da procura. Dessa forma, se outra empresa resolver competir pelo seu ponto, irá ganhar a briga quem tiver maior poder de fogo. “Como os contratos da grande maioria dos shoppings são bem curtos, nem sempre será possível retomar o investimento dentro do tempo acordado, acarretando em altos riscos para o empreendedor, caso haja uma competição pelo ponto e o mesmo não consiga renovar o contrato”, ressalta o administrador.

 

Franquia Store in store: credibilidade e público definido na porta do seu negócio

Como o próprio nome sugere, esse modelo se caracteriza pela franquia estar localizada dentro de outra loja. Para ter sucesso na adoção desse formato é preciso que haja uma sinergia entre os negócios, de forma que o fluxo dos clientes seja aproveitado para ambos. Dessa forma, o ideal é que o público alvo seja o mesmo e os produtos, preferencialmente, complementares.

Sendo assim, uma das principais vantagens do modelo é a captação desse público, visto que, mesmo estando no começo, seu negócio terá um tráfego natural de consumidores interessados no seu produto e que ainda será beneficiado com a comodidade e conveniência de encontrar algo que precisa em um ambiente que já frequenta. Outro benefício é a associação automática que ocorre ao atrelar a sua marca à credibilidade e know how da loja em que estará instalado.

Porém, assim como todo negócio, há riscos. “Se o estabelecimento em que você estiver instalado não estiver indo bem, consequentemente, a sua franquia também não irá, pois seu produto acaba sendo visto como secundário pelo consumidor, fazendo com que o mesmo não visite a loja somente por conta dele”, explica Diego

 

Loja física: alta rentabilidade e a experiência que o seu cliente merece

Se você prefere investir em um modelo mais tradicional e menos arriscado, talvez o formato de loja física seja sua melhor alternativa. Mesmo tendo em mãos uma vasta gama de opções de produtos, serviços e formas de compra, para grande parte dos consumidores é difícil resistir a uma bela vitrine e ao contato direto com determinados produtos ou serviços.

Para se ter uma ideia, de acordo com a última pesquisa encomendada pela Confederação Nacional da Indústria (CNI), cerca de 74% dos brasileiros nunca compraram pela internet. Entre os principais motivos apontados como justificativa a esse comportamento estão a falta de contato com o produto ao escolher à distância, a dificuldade de trocá-lo ou devolvê-lo, caso haja necessidade, e a demora na entrega.

Portanto, é perceptível o potencial de investir em uma loja física bem localizada e estruturada. Outro ponto é a experiência de compra que você poderá ofertar ao seu cliente, fazendo com que ele interaja não só com seu produto ou serviço, mas também com seu ambiente, seus valores, sua missão. Uma experiência completa e diferenciada que só poderá ser construída por meio da criação de um vínculo estreito com seu consumidor. Isso sem contar que o próprio estabelecimento já se torna uma fonte natural de captação de clientes.

Mas, como nem tudo são flores, investir em uma loja física exige um investimento muito maior comparado aos outros formatos, visto que você terá que arcar com altos custos de aluguel, reformas, água, IPTU, entre outros, esteja a loja instalada na rua ou shopping.

Vale lembrar que antes de escolher o modelo ideal para o segmento que você deseja atuar é imprescindível avaliar os cases de sucesso de cada formato e a maturidade da rede no mesmo. Para isso, busque questionar ao máximo a experiência do franqueador assim como o nível de satisfação dos seus franqueados.

 

tabela-modelos-de-franquias

Diego Simioni
Diego Simioni
Empreendedor, CEO do FranquiaZ e nas horas vagas caçador de oportunidades de negócio.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

CANSADO DE CONTEÚDOS SUPERFICIAIS?

Receba conteúdos e materiais REALMENTE ÚTEIS sobre franquias

Fique tranquilo, não faremos SPAM e nem venderemos seu email.